domingo, 15 de janeiro de 2012

Um conto de fadas medieval...?

Saudações amigos do Casa Conto!

E chego trazendo um pouco de música...
Na verdade, uma amiga acabou postando este clipe em sua página do facebook e, acreditem, apesar de gostar muito desta banda eu não havia parado para observar melhor o filmete e nem a letra. E, lógico, achei que não poderia deixar de postar por aqui.




O título já é bem sugestivo..." Fairy Tale" ou " Conto de fadas".
Uma das coisas mais interessantes deste vídeo é, exatamente, a mistura de elementos pagãos com religiosos.
Todo o clipe é permeado de referências: desde o coral de canto gregoriano que abre o clipe até à cartomante e as sessões do copo.

Não encontrei uma análise do filme pronta, por assim dizer, mas internautas fazendo suas próprias especulações sobre o significado. Alguns dizem que este vídeo faz referência ao Trovadorismo - um estilo literário de época surgido no Sul da França em plena Idade Média. O quê, para mim, faz muito sentido e explica a predominância dos elementos religiosos na história.
Comecemos com o fato de que Idade Média é um período dominando pelo Catolicismo. Muitas das festas pagãs foram absorvidas pela religião ou escorraçadas pelo clero. Já parte da produção literária era focada nas cantigas de amor, conforme trecho abaixo do site BrasilEscola:

"No que tange à temática elas estavam relacionadas a determinados
valores culturais e certos tipos de comportamentos difundidos pela
cavalaria feudal, que até então lutava nas Cruzadas no intuito de resgatar
a Terra Santo dos Mouros. Percebe-se, portanto, que nas cantigas prevaleciam
distintos propósitos: havia aquelas em que se manifestavam juras de amor
feitas à mulher do cavaleiro, outras em que predominava o sofrimento de
amor da jovem em razão de o namorado ter partido para as Cruzadas (...)"

Acho, no entanto, que o compositor quis ir um pouco mais além. A questão fundamental do clipe não é o amor em si, mas a perda.
A temática na verdade é a Morte e o sentimento de incapacidade para lidar com essa transição.

" Senhora encantada que se apóia nas paredes"
Vamos fazer uma análise mais subjetiva desta frase: no clipe a Dama é mostrada literalmente se apoiando nas paredes, mas acredito que a ideia é demonstrar que esta mulher está presa ao material, à concretude do mundo, à racionalidade. Alheia à realidade das questões espirituais que lhe permita sentir que o "amado" ainda está vivo. Quando ela se depara com a Morte, suas "paredes" sofrem um abalo. Tudo em que ela se apoiava desmorona...

No entanto,
" Seu conto apenas começou
Ele vem de longe, da Terra de Lugar Nenhum."

E então, temos uma mudança na expressão da Dama. Com a demolição das antigas crenças ela pode sentir o que lhe era familiar: " O vento sopra um som bem conhecido"
Prossegue-se o clipe com o "amado" personificado pelo cantor - André Matos - gritando para que ela o ouça: "Ouça minha alma e enxugue o meu pranto."

"Oh, a vida é boa
Oh, a vida é boa"
O clipe continua tentando entender a vida e a morte.
Os frames seguintes mostram cenas comuns: a mãe beijando a filha, um artesão pintando uma escultura, etc, etc...
Até que a música chega em um crescendo e aquelas cenas pacatas começam a ter elementos mais sombrios. Afinal de contas, a vida é um conto de fadas cheio de reviravoltas do destino ou talvez, escrito por algum ente superior - Deus?

A cena das duas freiras que se deparam com aquele homem rindo e gargalhando...Talvez uma ironia? Enquanto elas estudam tanto para compreender os divinos desígnios, Deus simplesmente está gargalhando ou pouco se importando com o destino de suas criaturas?
Ou ainda, a representação do lado negro da religião, Lúcifer? A tentação.

Há também muito sangue...Mas, o sangue é outro elemento religioso... É só lembrar do canto gregoriano que abre o clipe: " Tua família sobreviverá, do teu precioso sangue..."
Assim, é o sangue de Cristo, o Salvador da Humanidade (que não deixa de ser uma família.)

Em um outro frame, vê-se um jarro de água que se enche de sangue...Parece-me uma referência bem clara ao Santo Graal...Algumas das lendas dizem que o Santo Graal seria o cálice em que Cristo bebeu vinho na última ceia. O vinho para os católicos é a representação do sangue de Cristo...E, pronto! Dois elementos incorporados mais uma vez...

"Pequena senhora, seu conto tem um fim.
Pois seu amado ao Céu foi enviado."
(...) E assim ele estará lá, porque ele nunca morreu..."

Chega-se a constatação de que o amado nunca se foi. Ele está lá. E a Pequena senhora pode tranquilizar-se e não sofrer mais.

Acredito que seja por aí e é por isso que gosto tanto deste clipe. Poderia analisar cada frame do filmete aqui, mas vamos combinar que seria muita coisa para um post...risos!
Ele é mais do que uma "trova medieval", mas se usa deste estilo para se propôr à pensar sobre o mistério do que há além da vida e questionar a importância da vida em si.

E foi uma vez...

6 comentários:

  1. Perfeito! Adorei o clipe, ainda mais essa leitura que você fez dele. Muito bom.

    ResponderExcluir
  2. Olá, caro " Anônimo"! Obrigada por sua visita! O clipe é ótimo, não? Interpretações malucas, fruto dos meus pensamentos insanos! risos! Volte sempre!

    ResponderExcluir
  3. Eu vi uma interpretação no Yahoo! Respostas que dizia que a música é uma referência ao Cristianismo como um conto de fadas por causa da parte em latim no começo e do título.

    A Senhora Encantada da música seria uma figura que representa todos os cristãos das várias denominações do mundo (o livro de Apocalipse se refere a igreja como uma mulher e a Jesus como noivo dela), e o amor dela seria a figura que representa o próprio Jesus.

    ResponderExcluir
  4. Sobre o "jarro de água" como você citou, eu interpretei de forma diferente.
    Até mesmo pela forma como as duas jovens freiras se assustam com a aproximação daquele homem. Aquela panela parece mais um penico, onde aquele sangue representa o estupro causado por aquele homem. Nessa cena faz uma transição entre o lado lindo da vida e a decadência humana.
    Talvez eu tenha viajado demais.

    ResponderExcluir
  5. É gente...Já ouvi essa interpretação (Igreja a mulher e Jesus o Noivo.) mas, como não tenho referência bíblica profunda não posso ir muito além nesse caminho! Obrigada. Bastante interessante.

    Se preocupa, não, Eric. Negócio é viajar mesmo. Daí você tira a melhor visão!rsrs! Não tinha pensado por esse lado...De agressão sexual. É bem possível também. Obrigada pela contribuição!

    ResponderExcluir