quinta-feira, 8 de outubro de 2009

O Publicitário Pinocchio!

Saudações, leitores!

Interrompo minhas atividades normais para comentar sobre esta imagem que encontrei, meio sem querer, no álbum do orkut de uma amiga...Achei bem engraçada e aí está (confesso a vocês que até fiquei com medo desse sujeito!rs), para apreciação geral. Só pra constar: já ouvi esse comentário de um colega que preferia tornar-se jornalista do que publicitário por motivos similares. (clique na imagem para vê-la ampliada)

Lógico, não vou entrar na questão se o perfil existe, se a pessoa que comentou existe...Se o que ele disse é crível ou não....Ennnfimm! O legal é exatamente esta questão ética sobre o meio publicitário. Em algum post fiz referência ao "conto do vigário". O fato: temos um conselho que regulamenta as atividades publicitárias e estamos sujeitos sim, à sanções. O código em questão é o CONAR. Saiba mais através do link http://www.conar.org.br/. Como vocês devem saber, a propaganda da Havaianas foi uma das atingidas, pois foi retirada do ar por "incomodar certas pessoas". Trata-se da propaganda da avó moderninha e da neta (você pode ver o comercial aqui: http://www.havaianas.com.br/#/campaigns?id=156 -Poderia colocar o vídeo no blog, mas acredito que vale a visita. O site é um show visual. Além de ter um hot site sobre as curiosidades do Brasil. Dê uma passeada e confira.) que ao dizer que namorar famoso deve ser complicado a querida vovó sugere apenas ter sexo. (Minha primeira reação foi rir. Depois bateu um choque. E voltei a rir muito. rs! Mas, vou me abster de comentar se a retirada foi justa ou não. Até porque, a decisão 'democrática' foi manter na internet o vídeo.)

Este é um dos casos mais recentes. Outro, engraçadíssimo (concordo que seja sim, um pouco apelativo. Mas é engraçado.) , que também foi retirado do ar é da cerveja Isenbeck. Começa com um bando de marmanjos tomando cerveja, até que um deles deposita o copo no balcão e anuncia: "Desculpa gente, mas tenho aula de ballet" e lá vai ele com o par de sapatilhas cor de rosas em volta do pescoço...Confira o vídeo e entenda porque ele decidiu fazer as tais aulas... http://www.youtube.com/watchv=byVVrstUY34&feature=player_embeddedVrstUY34&feature=player_embedded#

Mas, como se pode ver, mais do que um conselho que regulamente, os publicitários estão sujeitos ao crivo do público. Principalmente quando é enganosa. Sim. Alardea-se propriedades que o produto não tem. Aí, pode sentar e chorar, porque o consumidor compra uma vez e depois nunca mais! É jogar com a credibilidade do produto. Imperdoável!!!

Eu, particularmente, penso que os publicitários são como ótimos (ou não)"consultores de estilo", responsáveis por dar 'aquela repaginada' nas imagens dos produtos. E, claro, não podemos esquecer que somos remunerados por isso. Construímos uma marca ou produto.

Há também aqueles que gostam de chocar. Por isso, temos alguns comerciais que são mais ousados. E,concordo que alguns podem ser bem abusivos. É importante ter um certo controle, como em qualquer profissão.
E, é óbvio. O consumidor nos tempos de hoje já não é mais passivo. Não se contenta em sentar em frente a tv e absorver aquilo que passa. Está mais informado e exige qualidade e bom senso.

Acho que nos dias atuais está cada vez mais difícil a mensagem publicitária se destacar o que torna o ofício bem mais desafiador!

Mas,temos que ficar atentos para o exercício de qualquer profissão. Não existem somente publicitários mercenários...Pelo menos, todo mundo sabe que o principal objetivo do publicitário é vender um produto/serviço. Foi para isso que ele foi contratado.
Bom senso.

Sempre. Para os publicitários, para quem os contrata e para os consumidores. Ah, sim: para os advogados também!risos... (já que o nosso amigo fez menção a profissão dos colegas magistrados. Acho, inclusive, que sou duplamente culpada por ter instinto mercenário:cursei Direito por um determinado período.)


E foi uma vez um publicitário chamado Pinocchio.

Toda vez que ele anunciava algo falso seu nariz crescia e crescia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário